jeudi 17 février 2011

Lisboa : fado e Bairro Alto.

O retrato de Amália Rodrigues, espalhado na cidade inteira (foto Daniel A.)

-texto français plus bas

De passagem –rápida- por Lisboa, no bairro da Baixa, à Rua Áurea, eu dou por mim na pequena loja « Discoteca Amália », dedicada inteiramente a Amália Rodrigues (1920-1999), a grande papisa do Fado.
Dizer que o Fado é a alma de Lisboa é um chavão que eu vou evitar (tarde demais !) ; mas é verdade que a capital portuguesa sempre o defendeu com orgulho como parte fundamental do seu patrimônio artístico.
É triste constatar que o Rio de Janeiro não foi capaz de fazer o mesmo com a Bossa Nova, uma de suas maiores identidades musicais, com a vantagem de ter seu valor reconhecido para além de suas fronteiras.
Os clubes de Fado –alguns melhores do que outros- pululam nos bairros d’Alfama e do Bairro Alto, e o retrato de Amália, tal qual um ícone, encontra-se por toda a cidade, em cartazes diversos, ou ainda em grafites particularmente elaborados (vide foto acima).
Em comparação, na « zona sul » do Rio, não resta quase mais nada além do Vinicius Piano Show, dedicado à Bossa, que ainda resiste graças ao turismo. E nesse caso, mesmo com a sua programação não chegando aos pés daquela apresentada até há uma quinzena de anos.


A « Discoteca Amália » poderia ser uma espécie de par da « Toca do Vinicius », situada à Rua Vinicius de Moraes, em Ipanema, espaço que defende ardentemente a Bossa Nova já fazem mais de 20 anos.
Aqui na « Discoteca... » encontramos os vinis originais da grande cantora, além de uma infinidade de cd’s, de dvd’s, de cartazes, e de obras biográficas. Uma parada obrigatória para os apaixonados pelo gênero, ou simplesmente para os amantes da música em geral.


O Bairro Alto é um autêntico quarteirão boêmio, que não ganha vida efetivamente antes das noites de quinta-feira. As pequenas galerias convivem com as lojas de design ; e os inúmeros bares noturnos sob as nuances musicais mais variadas, os clubes de fado, e os pequenos restaurantes da moda, ficam espalhados por uma dezena de ladeiras estreitas, quase que exclusivamente para pedestres. Dentre os turistas que por lá se cruzam, é possível encontrar uma juventude do tipo « ligada », uma vez que os comerciantes de substâncias ilícitas ali operam bastante abertamente.
Uma ambientação elétrica bem captada e devidamente expressa por Pedro Abrunhosa (no entanto muito ligado à sua cidade natal, d´O Porto), através de seu Rei do Bairro Alto, um trecho de seu último álbum : « Longe » (2010). Assistam aqui ao vídeo, mas dêem preferência à versão studio do cd…

1 commentaire:

Anonyme a dit…

LUTTE CONTRE L'HIPPOPHAGIE

NON ! UN CHEVAL CA NE SE MANGE PAS !

Obtenez un autocollant gratuit en écrivant à :
AEC
Résidence La Pléiade
98, rue de Canteleu
59000 LILLE

Joindre une enveloppe timbrée pour le retour du courrier.

Merci aussi de visiter les sites :

http://aec89.site.voila.fr

http://www.feracheval.com/petitions.php

http://www.lapetition.be/en-ligne/parlons-enfin-des-quids-2589.html

Rejoignez la groupe sur :

http://www.facebook.com:80/group.php?gid=63542203218

Faites passer le message à vos amis.

Amitiés.

AEC.

CE BLOG EST DÉDIÉ AUX CURIEUX QUI AIMERAIENT CONNAÎTRE L'ART ET LA MUSIQUE POPULAIRE BRÉSILIENNE. UNE OCCASION POUR LES FRANCOPHONES DE DÉCOUVRIR UN MONDE INCONNU OU IL EST DE MISE DE LAISSER SES PRÉJUGES AU VESTIAIRE.